Quarta-feira, 15 de Janeiro de 2014

Democracia enxuta

Sem dúvida que uma das mais desbocadas tiradas da recente silly season terá sido a que Luís Filipe Menezes proferiu para justificar o cancelamento do concerto de Tony Carreira agendado para inaugurar – com a pompa e circunstância que eleições à porta merecem - o pavilhão municipal de Oliveira do Douro. Neste acto de desplante público de usufruto simultâneo da sua dupla capacidade de Presidente em exercício da Câmara Municipal de Gaia e de candidato à Câmara Municipal do Porto, Filipe Menezes descaradamente considerou não ser «eticamente enxuto» patrocinar tal evento em vésperas de eleições municipais, não fosse o povo confundir o trabalho da autarquia com a actividade do candidato (à Câmara do outro lado do rio).

Não fosse esta frase proferida por um dos políticos mais ‘molhados’ da nossa praça, um dos tais que colocou a ética na gaveta quando – circunvagando deliberadamente a Lei -  decidiu concorrer a mais um mandato como Presidente de Câmara e até poderíamos estar perante um caso digno de registo. Mas como infelizmente o intuito de tal intervenção foi de exclusivo alcance eleitoralista, as palavras de Menezes não só manifestam o total desprezo e desdém que o ex-líder do PSD tem para com o seu eleitorado mas recordam-nos que, de facto, a qualidade da nossa democracia, e em especial do nosso sistema partidário, se encontra muito debilitada.

Aliás, tais palavras de gozo não se encontram muito distantes das decretadas pelo Primeiro-Ministro no seu mais recente ataque ao Tribunal Constitucional, pois o que o actual líder do PSD procurou – ao apelar ao «bom senso» dos seus juízes - não foi mais que colocar-se, enxuto, num patamar ético superior em relação a quem procura, apenas, verificar que as leis emanadas dos principais órgãos legislativos são validadas pelo nosso texto constitucional. Bem sabemos que Passos Coelho – decerto convencido de todo o seu bom senso quando decidiu apresentar mais um diploma que foge à boa apreciação da Constituição – entende estar no nosso texto fundamental o seu principal adversário à desejada reforma (leia-se destruição) do Estado. Já o referiu, aliás, diversas vezes. Mas como sempre que um diploma emanado de São Bento é chumbado pelo Tribunal Constitucional o Governo responde com uma birra de mais medidas de austeridade, honestamente que começo a pensar se tal não será apenas uma estratégia para se justificarem mais cortes e/ou impostos, e a reboque atingir-se não só os fundamentos constitucionais da República como apresentar os sociais-democratas como os líderes morais e éticos da tal ‘Nova República’ (liberal) que procuram promover.

E se entendo que é necessário um alargado e qualificado debate sobre a Constituição, preferiria que o mesmo a enxugasse não dos ‘vícios marxistas’ que tanto temem os nossos (Estado-dependentes) liberais, mas da excessiva dependência de um sistema partidário caduco e ‘molhadinho’ até à ponta dos cabelos. Pois necessitamos de uma democracia enxuta. Enxuta de muitos dos nossos políticos. 

 

(publicado a 3 de Setembro 2013)

publicado por politicadevinil às 14:14
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Damnatio memoriae

. Liberais traídos

. Um acto de primeiríssima ...

. Circuito fechado

. Eunucos sem pio

. Olá ò vida malvada

. Madiba e as vacas sagrada...

. Ser LIVRE

. O senhor que se segue

. A importância de um candi...

.arquivos

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Maio 2013

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds