Terça-feira, 21 de Dezembro de 2010

Portugal 2011

Em Portugal, a primeira década do século XXI foi marcada pela “tanga” de Barroso (tanga entretanto actualizada em versão europeia), e pelo progressismo social do governo de José Sócrates.

Com Barroso o país voltou a ter a oportunidade de recordar como a direita governa: sem ideias, sem dimensão social e sem perspectivas para o país; sendo a fuga de Barroso bem elucidativa de como os "laranjas" tratam dos assuntos de Estado: fugindo dos mesmos quando se lhes é apresentada uma melhor oportunidade de progredirem na sua carreira pessoal.

Já os governos Sócrates, mesmo mergulhados na maior crise económica e financeira dos últimos 70 anos e obrigados "contratualmente" a seguirem políticas neo-liberais de Bruxelas, recolocaram Portugal no caminho da modernização, com um bem desenhado plano tecnológico, alicerçado num conjunto de políticas sociais de clara marca progressista (de onde destacamos as políticas de Igualdade). Naturalmente que nem em todas as áreas a intervenção socialista foi bem sucedida; mas é bem evidente que Portugal dá, hoje, exemplos ao mundo em sectores como a investigação científica ou as energias renováveis, por exemplo. Talvez a maior crítica a Sócrates seja a de não ter conseguido encontrar alternativas progressistas nas áreas económicas e financeiras, e de ter apenas seguido as directrizes neo-liberais produzidas no ‘Berlaymont'.

Em todo o caso é importante sabermos as diferenças existentes entre um governo de direita e um de esquerda nestes tempos de incerteza e crise. A direita deixará sempre os mais desprotegidos para último plano, aumentando o fosso entre os mais ricos e mais pobres. Já a esquerda, mesmo seguindo as directrizes condicionadoras de Bruxelas, procurará sempre manter um conjunto de preocupações sociais de matriz progressista, não abandonando os mais desfavorecidos.

Julgo ser importante termos em consideração estas diferenças, numa altura em que nos preparamos para eleger o próximo Presidente da República. Portugal está numa situação política difícil, governado em minoria, onde o titular presidencial pode e deve ter um papel importante no equilíbrio do sistema político. Cavaco perdeu a oportunidade de intervir qualitativamente quando se recusou a opinar enquanto economista, preferindo potenciar uma estratégia de "estabilidade institucional" que tem dado péssimos resultados (visíveis no clima de crispação política latente no país). Já eleger Alegre significará promover uma visão mais cultural e solidária do sistema político, num momento de necessidade de valores humanistas.

São estas duas visões de Portugal que estarão em disputa logo no primeiro mês do novo ano, e da sua escolha muito se decidirá sobre a próxima década do nosso país. Teremos, então, de decidir se desejamos um Portugal mais solidário e humanista ou manter um presidente tecnocrata e pós-salazarista. A escolha, para mim, parece-me clara.
____

 

publicado por politicadevinil às 14:02
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Manel a 18 de Janeiro de 2011 às 09:31
Este gajo é maze maluco. O socrates é o maior ladrão que anda ai e este gajo a falar bem dele. Se o durão barroso fugiu, fez ele muito bem, pois este pais já tava na merda dos governos anteriores, como por exemplo o Guterres que fudeu esta merda toda.
Se eu fosse primeiro ministro de um país como este e tivesse a oportunidade de ganhar bem mais na Uniao Europeia eu fazia o mesmo.
Em vez de andar a fazer programinhas de e-escolas e e-escolinhas, deveria era ter-se preocupado com o buraco com que o país está, mas assim e bom....os putos não tem dinheiro para comer, mas ao menos tem o magalhaes.
Acho que sim...os governos PS mais á esquerda são muito bons, diminuem o fosso entre os probres e os ricos claro.....vem para cá os estrangeiros (Africanos, Brazileiros...etc) que não querem fazer NADA e dão-lhes subsidios quase tão altos como o Portuga que está a trabalhar e a ganhar o ordenado minimo....ACHAM ISTO JUSTIÇA SOCIAL? As diferenças sociais tem de existir mesmo, nem todos meressem o mesmo. Mas se acham que assim está melhor tudo bem....excelente. Paguem o IRS para o governo pagar a esses gajos que não querem trabalhar. Quem apoia governos de esquerda (ou PS....que é uma esquerda moderada) não sabe mesmo o que está a dizer, ou querem viver á custa do estado.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Damnatio memoriae

. Liberais traídos

. Um acto de primeiríssima ...

. Circuito fechado

. Eunucos sem pio

. Olá ò vida malvada

. Madiba e as vacas sagrada...

. Ser LIVRE

. O senhor que se segue

. A importância de um candi...

.arquivos

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Maio 2013

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds