Sexta-feira, 24 de Agosto de 2012

A Leste do Socialismo (democrático)

Fruto do abandono de Poul Rasmussen da liderança do PES, as direções nacionais dos partidos socialistas europeus preparam-se para eleger Sergei Stanishev (líder PS Búlgaro). Assim, a se confirmar, sucederá ao ex-PM Dinamarquês, o ex-PM Búlgaro, num congresso organizado pelo PM Romeno (Victor Ponta).

Parece-me claro que as ambições socialistas passam não só por se continuarem a apresentar ao eleitorado europeu como uma força política bem preparada institucionalmente (daí consagrarem ex-governantes), mas também em abrir o PES a Leste, promovendo figuras da nova Europa. E se entendo bem a necessidade de apresentar líderes com experiencia governativa e imperativo que se entenda o espaço europeu como compreendido de Lisboa a Sofia, já entendo menos a necessidade de promover líderes com testemunho governativo nada condizente com a herança social-democrata e com os valores e ideais do socialismo democrático, numa altura em que o eleitorado europeu grita por novas soluções de esquerda.

Para mais, tenho muitas dúvidas que na construção dos sistemas partidários na Europa Central e de Leste tenham os PS locais sido fundados sob os mesmos pressupostos ideológicos e programáticos que os da Europa Ocidental (por várias razões). Tal justifica, aliás, que temas como a igualdade, a equidade social ou a defesa do estado social não estejam nas primeiras páginas das suas agendas, antes pelo contrário; e que o legado das suas governações esteja mais ligado a despropositadas políticas de privatizações, escândalos de corrupção ou ausência de políticas de igualdade.

Dito isto, é normal que dentro da família PES encontremos partidos com tradições e culturas políticas distintas, por vezes conflituantes. Como aliás em qualquer partido político de um Estado Federal (veja-se o sistema Norte-Americano). E não estranha a necessidade de encontrar equilíbrios consensuais e soluções monistas, visando a construção de uma força partidária unida no combate político. Faz, aliás, todo o sentido, do ponto de vista táctico. _O problema é que a Europa não são os EUA (que têm séculos de cultura partidária). Para mais, a Europa tem dinamizado nos últimos anos uma sociedade civil progressista, interventiva e pró-activa. Que está contra as políticas de austeridade e contra o fascismo do ‘deficit'. Que quer mais democracia, menos oligarquias e uma coerência efectiva entre o discurso e a praxis política. Que espera por uma nova resposta de esquerda, mas não de uma esquerda aparelhista, oligárquica e calculista, como temo que se apresentará o PES depois de Bucareste.

Mas talvez seja esse o preço a pagar para retirar do governo europeu a direita conservadora e liberal. A estratégia é simples, aliás: depois de França, vencer na Alemanha (2013), entrar em 2014 em crescendo e ganhar as decisivas eleições europeias. E até me parece plausível, tal plano. Mas continuaremos atrás de um mal-menor, longe de uma solução integradora e democrática representada por políticos de cepa e convicções, e totalmente a leste do socialismo (democrático).

publicado por politicadevinil às 15:32
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Damnatio memoriae

. Liberais traídos

. Um acto de primeiríssima ...

. Circuito fechado

. Eunucos sem pio

. Olá ò vida malvada

. Madiba e as vacas sagrada...

. Ser LIVRE

. O senhor que se segue

. A importância de um candi...

.arquivos

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Maio 2013

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds